27 de novembro de 2016

INTERAÇÃO MEDICAMENTOSA DE RITONAVIR E O PROTOCOLO ABVD EM PACIENTE ONCOHEMATOLÓGICO: RELATO DE CASO



GILBERTO BARCELOS SOUZA1; NAYARA FERNANDES PAES2; RACHEL NUNES ORNELLAS2; TARCILA SOARES OLIVEIRA DE SOUZA ALBÉRICO2; AMANDA CASTRO DOMINGUES DA SILVA3; FÁBIO MOORE NUCCI4; CLÁUDIA MÁRCIA CABRAL FEIJÓ OLIVEIRA5; SUELLEM THOMÉ VARGAS POSSAS2. Farmacêutico - Serviço de Farmácia - Hospital Universitário Antônio Pedro – Universidade Federal Fluminense - Niterói – RJ. Farmacêutica Residente - Serviço de Farmácia - Hospital Universitário Antônio Pedro – Universidade Federal Fluminense - Niterói – RJ. Acadêmica de Farmácia – Faculdade de Farmácia - Universidade Federal Fluminense – Niterói – RJ. Médico – Hematologista - Serviço de Hematologia - Hospital Universitário Antônio Pedro – Universidade Federal Fluminense - Niterói – RJ. Enfermeira – Serviço de Hematologia - Hospital Universitário Antônio Pedro - Universidade Federal Fluminense - Niterói – RJ. 

Introdução: O Linfoma de Hodgkin (LH) é uma neoplasia que se origina nos linfonodos (gânglios) do sistema linfático, ocasionando alterações morfológicas das células linfocitárias, principalmente as da linhagem B, facilmente identificadas pela presença de células de Reed-Sternberg. A incidência de LH nos doentes infectados pelo vírus HIV, mais elevada em cerca de 5-10 vezes comparativamente à população HIV negativa, apesar de não ser uma doença definidora da SIDA. O prognóstico dessa neoplasia nos pacientes soropositivos geralmente não é bom, por isso a estratégia de tratamento deve ser modificada, de forma a atingir índices de remissão completa e aumento da sobrevida, com o uso de esquemas antirretrovirais altamente eficazes e ajustes de protocolos quimioterápicos. Objetivo: Este trabalho tem como objetivo investigar a presença de interações graves entre os antirretrovirais Ritonavir, Danuravir e Raltegravir e o protocolo ABVD (Adriamicina, Bleomicina, Vimblastina e Dacarbazina), esquema clássico de tratamento do Linfoma de Hodgkin. Metodologia: Durante uma discussão do caso clínico de um paciente de 32 anos, HIV soropositivo, apresentando diagnóstico de Linfoma de Hodgkin com infiltrado medular (estágio IVB) e suspeita de insuficiência adrenal, o médico sugeriu o protocolo de quimioterapia ABVD, porém seria necessário investigar a presença de interações graves entre os antirretrovirais e os antineoplásicos, avaliando, desta forma, qual a melhor alternativa: troca dos antirretrovirais ou ajustes de doses dos quimioterápicos. Foi solicitado o auxílio das farmacêuticas residentes para obtenção da terapêutica medicamentosa mais segura para o paciente. Resultados: Foi identificado grave interação entre Ritonavir e Vimblastina, pois o primeiro medicamento é um potente inibidor do citocromo P450 3A4 e a coadministração pode aumentar de forma significativa a concentração plasmática de alcalóides da vinca, neste caso, a vimblastina, aumentando sua toxicidade, com risco de morte para o paciente. Devido a alta carga viral (1191, log 3,28) e o paciente já encontrar-se em terceira linha de tratamento, não foi possível substituir os antirretrovirais. Assim, as farmacêuticas residentes, baseadas em literaturas, sugeriram que a administração da vimblastina fosse iniciada em dose mínima (3,7mg/m² superfície corpórea), sendo aumentada gradativamente de acordo com a resposta do paciente, monitorando a presença de sinais de toxicidade. Conclusão: A atuação clínica das farmacêuticas foi importante para garantir a segurança do paciente diante da alta complexidade da farmacoterapêutica. Através da aplicação dos conhecimentos técnicos, foi possível iniciar o protocolo quimioterápico adaptando-o à necessidade individual do caso. Palavras chave: Interação, hematologia, segurança do paciente.

Anais do V Congresso de Farmácia Hospitalar em Oncologia do INCA - 26 a 29 de outubro de 2016 - Rio de Janeiro - RJ

21 de setembro de 2016

Concurso com 2.534 vagas da Prefeitura de Belford Roxo - RJ passa por nova retificação

Uma nova retificação do edital do Concurso Público, destinado ao preenchimento de vagas no quadro funcional permanente e formação de cadastro reserva, da Prefeitura Municipal de Belford Roxo, no Rio de Janeiro, foi divulgada.

Desta vez foi alterado os requisitos do cargo de Técnico em Enfermagem do Trabalho. Mais informações estão disponíveis nos editais em nosso site.
No total são 2.534 vagas distribuídas para profissionais de todos os níveis de escolaridade, nas seguintes funções:
  • Nível Fundamental: Agente Comunitário de Saúde (267); Agente de Combate às Endemias (218); Ajudante de Calceteiro (5); Ajudante de Rastilheiro (10); Ascensorista (3); Auxiliar administrativo (40); Auxiliar de Almoxarifado (1); Auxiliar de Serviço de Jardinagem (6); Auxiliar de Serviços Gerais (20); Bombeiro Hidráulico (2); Calceteiro (5); Carpinteiro (5); Coveiro (21); Gari (100); Inspetor de Disciplina (100); Jardineiro (6); Manilheiro (10); Merendeira (150); Operador de Máquina Pesada (5); Operador de Motosserra (4); Operador de Roçadeira (4); Pedreiro (5); Pintor de Parede (2); Rastilheiro (5); Trabalhador Braçal (52); Vigia (10) e Zelador (100).
  • Nível Médio/ Técnico/ Magistério: Agente Administrativo (100); Agente de Apoio a Educação Inclusiva (100); Agente Fiscal Ambiental (2); Almoxarife (2); Auxiliar de Desenvolvimento Infantil (100); Auxiliar de Edificações (2); Auxiliar de Farmácia (14); Auxiliar de Saúde Bucal (5); Digitador (7); Eletricista de Alta Tensão (2); Eletricista de Baixa Tensão (2); Faturista (20); Intérprete de Libras (5); Maqueiro (14); Mediador (21); Professor II - 1;º ao 5º ano (65); Professor II - Educação Especial (9); Projetista (1); Recepcionista (6); Secretário Escolar (11); Telefonista (2); e Técnicos nas áreas de Controle Interno (5); Ambiental (2); Enfermagem (40); Laboratório (5); Planejamento e Orçamento (2); Procuradoria (10); Raio-X (20); Tesouro Municipal (4); Contabilidade (5); Enfermagem do Trabalho (1); Saúde Bucal (6) e Segurança Trabalho (6).
  • Nível Superior: Administrador (2); Advogado (8); Biólogo (13); Biomédico (5); Bioquímico (1); Contador (4); Economista (2); Educador Físico da Saúde (10); Enfermeiro (40); Enfermeiro do Trabalho (1); Epidemiólogo (2); Farmacêutico (10); Fiscal Sanitário (4); Fisioterapeuta (10); Fonoaudiólogo (15); Nutricionista (6); Orientador Educacional (21); Procurador Municipal (10); Psicólogo (16); Sanitarista (2); Supervisor Escolar (21); Tecnólogo em Informática (2); Terapeuta Ocupacional (6); Assistente Social (49); Analistas em cargos Administrativo (10); Ambiental (2); Arquitetura e urbanismo (2); Edificações e Infraestrutura Urbana (2); Analista de Gestão em Saúde (8); de Habitação (2);Planejamento e Orçamento (2); de Procuradoria Ambiental (2); Procuradoria Arquivista (1); Procuradoria Contador (1); Procuradoria Fazendário (4); Procuradoria Trabalhista(2); do Tesouro Municipal (2) e Analista Sanitário (2); Auditores de Contabilidade (2); Controle e Avaliação (5); Controle Interno (5); Engenharia Civil (2); de Obras (4); e Auditor de Saúde (2); Cirurgiões-Dentistas nas especialidades de Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial (4); Endodontia (10); Estomatologia (5); Odontopediatria (5);Pacientes com Deficiência (5); Patologia Bucal (5); Periodontia (5); e Cirurgião-Dentista especialista em Prótese Dental (5); Engenheiro Ambiental e Sanitarista (1); Engenheiro Civil (1); Engenheiro Clínico (1); Engenheiro Florestal (1); Engenheiro Químico (1); Engenheiro Segurança do Trabalho (3); Médicos Neuropediatra (3); do Trabalho (3); Angiologista (3); Cardiologista (10); Cardiologista Pediatra (2); Cirurgião Geral (9); Clínico Geral (40); Clínico Geral - Emergência (70); Dermatologista (12); Endocrinologista (6); Gastroenterologista (9); Geriatra (5); Ginecologista Obstetra (20); Hematologista (3); Infectologista (5); Mastologista (3); Nefrologista (5); Neurologista (6); Oftalmologista (5); Ortopedista (10); Ortopedista de Emergência (15); Patologista Clínico (3); Pediatra (30); Pediatra de Emergência (50); Pneumologista (3); Proctologista (6); Psiquiatra (10); Psiquiatra de Emergência (7); Radiologista (5); Reumatologista (5); Ultrassonografista (5) e Médico Urologista (4); por fim as vagas para Professores são nas áreas de Ciências (4); Educação Artística (7); Geografia (6); História (4); Língua Estrangeira (2); Língua Portuguesa (7); e de Matemática (6).
Dentro do total de vagas, há oportunidades reservadas para pessoas com deficiência.
A carga horária de trabalho será de 16h; 20h; 24h; 30h ou 40h semanais, já as remunerações variam de R$ 880,00 a R$ 7.700,00, de acordo com o cargo a ser desempenhado.

Os candidatos realizaram as inscrições, até às 20h do dia 20 de setembro de 2016, pelo site www.consulpam.com.br, e efetuaram o pagamento do boleto referente a taxa de participação, que varia nos valores de R$ 55,00; R$ 80,00 ou R$ 120,00, conforme escolaridade.

19 de julho de 2016

Livro FORMULÁRIO FARMACÊUTICO MAGISTRAL

O Formulário Farmacêutico Magistral 2016 apresenta 981 fármacos e mais de 1.300 fórmulas de medicamentos manipulados, suas respectivas estabilidades, modos de preparo a partir de matérias-primas, cápsulas, comprimidos, ampolas, soluções para nebulização, sprays nasais, ou de outras formas farmacêuticas existentes.
A obra é ricamente referenciada e embasada na literatura farmacêutica internacional atual, de leitura fácil e objetiva, e assim, de grande utilidade aos estudantes de farmácia e aos profissionais da manipulação magistral no ambiente hospitalar e nas farmácias de manipulação. 
 
Sumário
 
  1. Agradecimentos
  2. Nota
  3. Manipulação Magistral
  4. Medicamentos em Dermatologia
  5. Preparações Tópicas Semisólidas
  6. Medicamentos em Oftalmologia
  7. Glossário Dermatológico
  8. Glossário Farmacêutico
  9. Tabela de pH
  10. Fórmulas Farmacêuticas

16 de junho de 2016

IDENTIFICAÇÃO DE RISCOS DA DISPENSAÇÃO DE MEDICAMENTOS ORAIS, NA AUSÊNCIA DE ATENÇÃO FARMACÊUTICA, EM UMA CLÍNICA ONCOLÓGICA PRIVADA

Edwiges de Lima Santos – edwiges_s@yahoo.com.br – Taubaté/SP - Instituto de Oncologia do Vale; Daniel Oliveira de Souza - daniel.oliveira@iov.med.br – São José dos Campos/SP – Instituto de Oncologia do Vale

Introdução: Diversos fatores são impactantes na adesão do paciente ao tratamento com medicamentos de uso oral, ocasionando muitas vezes uma piora do quadro do paciente ao invés da cura da doença ou melhora da qualidade de vida. A atenção farmacêutica leva a uma farmacoterapia racional, minimizando o problema relacionado com medicamento e sua interferência nos resultados terapêuticos. Objetivo: Identificar riscos da ausência de atenção farmacêutica aos pacientes em tratamento domiciliar que recebem a medicação oral diretamente pelo convênio, em comparação com os que retiram na clínica e receberam atenção farmacêutica. Metodologia: Foi realizado levantamento dos pacientes em tratamento via oral, e dos 13% que recebem a medicação pelo convênio, foi aplicado questionário no mês de julho de 2015 por telefone. Levantaram-se as informações que foram comparadas com os pacientes que retiram a medicação na clínica do período de janeiro a junho de 2015. Resultados: 93,3% dos pacientes não tiveram oferta de atenção farmacêutica pelo serviço que entrega a medicação e consideram importante essa atenção. 66,7% são polimedicamentosos e 26,7% já tiveram dúvidas de interação medicamentosa. Dos pacientes que retiram medicação na clínica, 100% tiveram seus medicamentos reconciliados quando iniciaram, mudaram ou reiniciaram o tratamento, destes 74% são polimedicamentosos. 22% precisaram de algum tipo de intervenção e/ou orientação farmacêutica. Conclusão: A atenção farmacêutica beneficia o paciente em uso de medicação oral por meio da reconciliação medicamentosa proporcionando intervenções farmacêuticas vitais para a promoção da saúde. Os pacientes que não recebem esse serviço acabam expostos a riscos impactantes em seu tratamento.

Poster in: ANAIS DO CONGRESSO - VIII CONGRESSO BRASILEIRO DE FARMACÊUTICOS EM ONCOLOGIA - 20 a 22 de maio de 2016 - Florianópolis - SC


30 de maio de 2016

USO DE DECIMAIS EM RÓTULOS DE MEDICAMENTOS


Para evitar erros, não seria mais adequado 1 mg/mL ao invés de 1,0 mg/mL.

(ISMP BRAZIL) : uso de zero após a vírgula para expressar números inteiros (5,0 miligramas em vez de 5 miligramas pode ser confundido com 50 miligramas se a vírgula ficar pouco evidente) também têm sido associados a erros de medicação;

"Abreviaturas, símbolos y expresiones de dosis asociados a errores de medicación". Otero MJ, Martín R, Domínguez-Gil A. Farm Hosp. 2004; 28: 141-4.

"Prevención de errores de medicación. Errores por etiquetado o envasado similar o inapropiado". Farm Hosp. 2003; 27: 396-400.

FRASCOS DE INSULINA COM CORES IDÊNTICAS: COM A PALAVRA A ANVISA


Em abril de 2016 ocorreu o ALERTA DE FARMACOVIGILÂNCIA DA ISMP BRASIL. Alerta de segurança sobre risco de troca de frascos de vacina da gripe, entretanto, digo ATENÇÃO: todos os frascos de vacina tem a mesma cor VERDE.